Nós não Conseguimos Respirar, por Kamilla Neves (*)

Como paralisar o estrangulamento de uma população que precisa respirar? Não é possível afirmar que há uma resposta fácil, única e simples para esta questão. Para respondê-la e, principalmente, intervir no sentido de manutenção da vida de negros, mulheres, trabalhadores e pobres, faz-se necessário compreender os sistemas de opressão, adoecimento e extermínio de grupos minoritáriosContinuar lendo “Nós não Conseguimos Respirar, por Kamilla Neves (*)”

A crítica à razão cínica: evidências explícitas de um projeto de ódio de classe, por Maria Malta(*)

Enquanto escrevo este texto a cidade do Rio de Janeiro inicia a flexibilização do isolamento social e a reabertura dos “negócios”. Segundo os números do ministério da saúde estamos no momento de maior número de contaminações diárias registradas. Pelos números da OMS o país chegou ao topo na lista de país em termos de taxaContinuar lendo “A crítica à razão cínica: evidências explícitas de um projeto de ódio de classe, por Maria Malta(*)”

No Brasil, as vidas negras importam, mas só se for dito em inglês:riscos para além de uma pandemia , por Juan Barbosa(*)

É ridículo ter de lembrar a um número significativo de pessoas desse país que a cor da pele é um fator de vida ou de morte. É 2020 e se faz necessário lembrar que: vidas negras importam. Ou melhor, black lives matter, slogan mais acessível a classe média branca e burguesa desse país que sóContinuar lendo “No Brasil, as vidas negras importam, mas só se for dito em inglês:riscos para além de uma pandemia , por Juan Barbosa(*)”

Perguntas de uma professora que vê

Maria Malta Quem decidiu que a saúde recomeça agora? Nos jornais estão os nomes dos reis, mas são os reis que fazem as pesquisas e desenvolvem as vacinas?As mordaças tão longamente projetadas, porque coloca-las em crianças?Falar 50 minutos para um turma de 30 adolescentes com a boca coberta, seria mais uma técnica aprendida em Guantânamo?Ah,Continuar lendo “Perguntas de uma professora que vê”

O Brasil e o Mundo no encontro com o desencontro, por Matheus Sadde (*)

O trabalho e a vida social no capitalismo contemporâneo. Desde o final dos anos 60, as condições gerais de produção vêm se transformando de modo estrutural. Para que a produtividade do trabalho atingisse níveis mais elevados se fez necessário o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias de informação e sistemas de integração em rede capazesContinuar lendo “O Brasil e o Mundo no encontro com o desencontro, por Matheus Sadde (*)”

O protagonismo espúrio do Brasil durante a pandemia, por Jaime León(*)

Desde instaurado o estado de calamidade pública no Brasil em março por conta da pandemia do novo coronavírus, o país tem apresentado taxas de crescimento do número de casos e do número de mortes elevados a ponto de, desde fins de abril, se discutir o fato de o Brasil estar virando o novo epicentro daContinuar lendo “O protagonismo espúrio do Brasil durante a pandemia, por Jaime León(*)”

América Latina e a real doença além da Covid-19, por Pedro Brandão(*)

  O acontecimento aqui analisado será a pandemia da Covid-19 na América Latina, mais especificamente na América do Sul, e suas consequências. Os números da doença no continente latino americano até 30 de maio são de 950 mil pessoas infectadas, 87% na América do Sul, e mais de 50 mil óbitos, segundo a OMS. OContinuar lendo “América Latina e a real doença além da Covid-19, por Pedro Brandão(*)”

Lá vem o Brasil descendo a ladeira: são os trabalhadores que pagarão pela Pandemia , por Maria Malta(*) e Jaime León(**)

Os trabalhadores brasileiros já convivem com uma taxa de desemprego acima da média mundial pelo menos desde 2014. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) havia previsto um pequeno ritmo de redução destes valores a partir de 2019 em virtude da tímida recuperação econômica observada naquele ano. No entanto tal ritmo de retomada implicaria na demoraContinuar lendo “Lá vem o Brasil descendo a ladeira: são os trabalhadores que pagarão pela Pandemia , por Maria Malta(*) e Jaime León(**)”