Melancolia

Maria Malta Sob dois grandes arcos amarelos Arremedos de comida servidos Ambiente perfeito para magrelos Cheiro de alimentos podres fervidos   Uma linda família humildade, raiz Deve ser dia de sacrifício Pedem por um lanche feliz Não está no cardápio o desperdício   Recebem uma refeição quente Dividem com muita paciência Mal tampa o buracoContinuar lendo “Melancolia”

Esta é a minha

Maria Malta A sabedoria das minhocas é reconhecer quando o buraco está quente pode lançar-se como flecha por meio de um arco qualquer escapar do destino de isca um prazer com barulho de risada risada atômica com a força da irá de uma mulher oprimida expressa oniricamente no encontro da minha mão como sua bocaContinuar lendo “Esta é a minha”

A “quadratura do círculo”: o casamento da Bolsa de Lula e o apetite reformista de Guedes, por Jaime León (*)

Há algum tempo, o presidente Bolsonaro anunciou que não tirará recursos dos pobres para dar para os miseráveis. Uma frase de grande potencial político-eleitoreiro, pois, de um lado, garante para o presidente apoio de boa parte da classe trabalhadora mais vulnerável. Ao passo que, por outro lado, fortalece os conflitos entre estes e outra faixaContinuar lendo “A “quadratura do círculo”: o casamento da Bolsa de Lula e o apetite reformista de Guedes, por Jaime León (*)”

Ensaio sobre o trabalho militante por uma perspectiva marxista, por Diego Souza(*)

O trabalho militante dos movimentos sociais e organizações da classe trabalhadora é a espinha dorsal pela qual se movimentam e atuam na realidade. Por desempenhar ação vital, o trabalho militante tem sido temática presente nos mais variados espectros políticos do movimento dos trabalhadores, independente das fronteiras nacionais e com vasto acúmulo de experiências históricas. EsteContinuar lendo “Ensaio sobre o trabalho militante por uma perspectiva marxista, por Diego Souza(*)”

Violência nas escolas em tempos de virtualidade, por Maria Malta(*)

Este texto é resultado de uma experiência compartilhada por um conjunto de docentes, técnicos e estudantes da UFRJ e de professores de escolas públicas de 4 municípios do Estado de Rio de Janeiro, no Projeto de Extensão Ser diferente Ser igual, coordenado pela Professora Carla Dias da Escola de Belas Artes da UFRJ. O projetoContinuar lendo “Violência nas escolas em tempos de virtualidade, por Maria Malta(*)”

Nada de novo em vender o caos e a violência como normal, por Maria Malta(*)

Ontem vi uma mini-série sobre os dez mais procurados do mundo. Logo o primeiro, Felicien Kabuga, era retratado como financiador de um terrível genocídio do século 20, o genocídio em Ruanda em 1994. Provas: havia comprado centenas de milhares de facões. Aos poucos o documentário revelava que era um dos homens mais ricos de Ruanda.Continuar lendo “Nada de novo em vender o caos e a violência como normal, por Maria Malta(*)”